ENEM 2016 / QUESTÃO 56 (Caderno de Prova Azul)

ENEM 2016 / QUESTÃO 56 (Caderno de Prova Azul)

Enunciado:

As proteínas de uma célula eucariótica possuem peptídeos sinais, que são sequências de aminoácidos responsáveis pelo seu endereçamento para as diferentes organelas, de acordo com suas funções. Um pesquisador desenvolveu uma nanopartícula capaz de carregar proteínas para dentro de tipos celulares específicos. Agora ele quer saber se uma nanopartícula carregada com uma proteína bloqueadora do ciclo de Krebs in vitro é capaz de exercer sua atividade em uma célula cancerosa, podendo cortar o aporte energético e destruir essas células.

Ao escolher essa proteína bloqueadora para carregar as nanopartículas, o pesquisador deve levar em conta um peptídeo sinal de endereçamento para qual organela?

(a) Núcleo.

(b) Mitocôndria. (resposta correta)

(c) Peroxissomo

(d) Complexo golgiense.

(e) Retículo endoplasmático.

Comentário:

Essa questão está centrada basicamente nos conceitos da biologia. Sabemos que a produção de energia de uma célula (Ciclo de Krebs – respiração celular) é realizada dentro da mitocôndria, então, como o pesquisador que “matar” a célula tumoral cortando o aporte de energia para ela, ele deve usar um peptídeo que direcione a nanopartícula para a mitocôndria. O que pode fazer você questionar é, como isso é possível? Sim, é possível. Hoje anticorpos e outras biomoléculas podem ser colocadas na superfície de uma nanopartícula para localizar especificamente uma célula tumoral ou organela do corpo humano. Não é ficção, é Ciência, é NANOTECNOLOGIA. Essa questão é um bom exemplo que podemos usar para demonstrar que a nanotecnologia, hoje, é capaz de projetar uma nanopartícula para uma determinada função.

 (REFLEXÃO)

Ao ler isso, muitas pessoas pensam sob a ótica de uma visão futurística, ou seja, que a nanotecnologia irá criar “nanorobôs” e máquinas que vão circular pelo corpo e promover a cura de doenças. Não é bem assim! “Nanorobôs” envolvem engrenagem, movimentos controlados, biolocalização dentro do corpo e isso não é tão simples! Pode ser que seja possível um dia, mas hoje, as pesquisas científicas têm demonstrado que é possível criar uma nanopartícula, direcionando-a para que ela exerça uma função dentro do corpo humano. Isso sim é factível, pois já existem nanoestruturas biocompatíveis com o nosso organismo que já fazem esse trabalho seletivo.

Gostou do post? Siga-nos para acompanhar nossos posts. Curta e compartilhe nosso trabalho nas redes sociais para divulgar a nanotecnologia à todos:
error13

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *